Metamorfose

“Navios mercantes e pequenos barcos flutuavam tranquilos, criando a sensação de uma imagem congelada em um cartão postal. Isso somente é possível graças às severas regras de navegação, que criam uma lógica tal, obrigando capitães e arrais amadores a verem alamedas, ruas e grandes rodovias onde a maioria dos mortais veem apenas água. Sentado em um banco na pracinha em frente ao cais do porto, ele se esforçava para lembrar essas regras. Faziam trinta anos que não voltava ao cais. Respirava profundamente sentindo o cheiro do ar encharcado de maresia. Um cheiro tão característico e intenso…” continue lendo no livro ‘Família na sala’…

Este conto é parte do livro “Família na sala”, reunindo narrativas breves escritas em até seis páginas, tratando sobre os temas cotidianos de todos nós. Sua publicação tem como objetivo promover a leitura coletiva no lar, promovendo a literatura dentro dos ambientes familiares.

Você pode adquirir o livro aqui pelo blog!

Sobre Almeida Junior

Ambientalista e Escritor
Esse post foi publicado em CONTOS e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s